Agronegócios

Produtores de leite pedem fim das importações para conter crise do setor

Os pequenos produtores e cooperativas de leite do Paraná e do interior do país acumulamprejuízos com a crise leiteira, que persiste desde o início de 2017. O preço da produção tem operado em queda, comprometendo o comércio e a economia nas regiões produtoras.

No Sudoeste do Paraná, em 2016, o preço do litro de leite variava entre R$ 2,00 e R$ 1,60, com preços menores para os produtores familiares e as pequenas cooperativas. Já no segundo semestre de 2017, o preço caiu para R$ 1,15, e chegou até R$ 0,70 por litro.

Uma das soluções propostas pelos produtores seria o fim das importações e a compra voltada para o mercado interno, o aumento da verba para a compra do leite estocado, o crédito para as cooperativas e renegociar a dívida dos agricultores.

O deputado federal Zeca Dirceu alertou que um dos grandes responsáveis pela redução do preço tem sido a falta de compromisso do governo na regulação do mercado do leite. “O governo tem dado preferência à importação do leite de países como Argentina e Uruguai, em detrimento da aquisição da produção interna. Sem falar no desmonte promovido nas políticas públicas, voltadas para a compra da produção nacional.

O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) estão quase sendo extintos pelo governo. E isso afeta diretamente a agricultura familiar, que antes tinha o escoamento de sua produção garantido e, agora, sofre com a competição com os países vizinhos e com os cortes em ações estratégicas para o setor produtivo”, explicou.

A proposta mínima do governo para o orçamento do PAA para 2018 foi de apenas R$ 750 mil, a oposição conseguiu recuperar esse valor, garantindo mais de R$ 300 milhões – muito abaixo do orçamento de R$ 839 milhões, em 2012, quando o programa alcançou seu maior valor. “Os produtores dependem dessa atividade para sobreviver e a economia rural perde em renda e emprego sem ações concretas.

O governo precisa agir e proteger o mercado interno reduzindo as importações do leite. Conseguimos assegurar um orçamento bem maior ao PAA do que foi proposto. E, na próxima semana, o tema volta à pauta do núcleo agrário do PT, para analisar qual melhor forma de pressionar o governo para voltar a fortalecer os programas de compras institucionais para o nosso leite e favorecer o mercado interno”, reforçou a parlamentar.

Em 2017, o deputado já havia se reunido no Ministério da Agricultura, junto com representantes de produtores leiteiros, mas o governo pouco avançou na pauta de reivindicações.

Agro Paraná

Comentários

comentários

Comentar