Maringá

Arrecadação aponta confiança na gestão e na economia

O desempenho positivo da arrecadação da Prefeitura de Maringá ao longo dos dois últimos anos reforça o perfil conciliador adotado pela gestão municipal, que busca criar cenário colaborativo entre a administração e a comunidade para promover a geração de emprego e renda. “Gerimos os recursos públicos com transparência e austeridade para proporcionar melhorias na qualidade de vida, por meio de investimentos na construção de uma cidade grande no tamanho e maior ainda no desenvolvimento econômico e social”, afirma o prefeito Ulisses Maia.
Até 31 de janeiro, a Prefeitura de Maringá recebeu R$ 107,6 milhões de IPTU, valor que representa  111.681 cadastros imobiliários – ou quase 70% do número de imóveis que receberam o carnê do imposto (162.1130). O pagamento à vista até dia 24 de janeiro, com 10% de desconto, foi feito por 80.214 contribuintes, num total de R$ 103,4 milhões. A primeira parcela do tributo foi paga por 31.467 pessoas, totalizando R$ 4,2 milhões. Desconto de 7% à vista no pagamento do IPTU será concedido até dia 11 de fevereiro.
“Esses números expressam confiança na gestão municipal”, afirma o secretário de Fazenda, Orlando Chiqueto, que associa o volume positivo de arrecadação, o que inclui também outros tributos, como o Imposto Sobre Serviços (ISS), ao desempenho da administração na produção de resultados. “A perspectiva otimista no desempenho da economia, com a retomada dos investimentos, e um cenário político menos inseguro, também é um fator que contribui para essa confiança”, acrescenta o secretário.
A arrecadação com ISS em 2018 alcançou R$ 167,5 milhões, valor 17% maior que em 2017 (em janeiro de 2019 já foi pago R$ 15,4 milhões). O valor arrecadado não apenas reafirma confiança no modelo propositivo da gestão municipal, como também reforça o vigor da economia local, referendada por pesquisas nacionais que posicionam Maringá entre as cidades com grande potencial para o sucesso de novos negócios. “A relação colaborativa entre a gestão e as forças produtivas criam ambiente propício ao desenvolvimento”, afirma Chiqueto.
Diretoria de Comunicação

Comentários

comentários