Maringá

Obras de mobilidade urbana seguem em ritmo acelerado

Investimentos em obras de mobilidade buscam valorizar a infraestrutura urbana, agilizar a conexão entre bairros e tornar o fluxo de veículos mais seguro. Obras como as pontes na avenida Alexandre Rasgulaeff cumprem ainda outro objetivo: acabar com alagamentos na via, eliminando um antigo problema.  “Mantemos o ritmo de investimentos e o rigoroso cumprimento do organograma das obras”, destaca o prefeito Ulisses Maia.
 
Terminal Intermodal
Na região central de Maringá, têm sequência os trabalhos para instalação das peças de estrutura metálica que são utilizadas na cobertura do Terminal Intermodal.
Fabricadas pela empresa Salver, de Santa Catarina, as primeiras peças da estrutura são os pilares de sustentação da cobertura, já em fase de instalação. No canteiro de obras do terminal também estão em execução as obras subterrâneas da estação ferroviária. O conjunto de obras prossegue dentro do cronograma, com término previsto para o segundo semestre de 2019 ao custo total estimado em R$ 64 milhões.
Estações de transbordo
As obras de Mobilidade Urbana em execução incluem também a implantação do Corredor de Ônibus Norte-Sul. O projeto se estende do novo Terminal Urbano Central até a confluência da Avenida Colombo com a Avenida Morangueira – onde foram implantados oito pontos de embarque e desembarque de passageiros – e segue até sua conjugação com os Terminais de Integração construídos nas praças Emílio Farjado Espejo e Megumu Tanaka, na Avenida Kakogawa – e Praça Ouro Preto, que já está em operação na Avenida Morangueira.
Carlos Borges
Na região sudoeste de Maringá têm prosseguimento as obras de duplicação da Avenida Carlos Borges, no trajeto de 3,2 quilômetros entre o cruzamento com a Avenida Luiz Teixeira Mendes até a Rua Pioneiro Exaltino Pereira Boa Sorte, no lado sul do Anel Viário Sincler Sambatti. A duplicação da avenida ocupará uma faixa de 36 metros de largura, contendo duas pistas de 9 metros – incluindo as faixas de estacionamento – além de canteiro central de 8 metros, com uma faixa de ciclovia e calçadas laterais. Haverá semáforos para transposição da via nos cruzamentos, retornos e criados binários com pontos de ligação nas vias paralelas. O município já investiu R$ 7,2 milhões em desapropriações de 28 lotes.  A obra terá custo total de R$ 12,021 milhões, com entrega programada para o mês de maio de 2019.
Avenida Campolina
Na região norte da cidade as obras do prolongamento da Avenida Pioneiro Alício Arantes Campolina – que inicia no cruzamento com a Rua Cristal, na altura do bairro Cidade Jardim – chegam até a confluência com a Avenida Morangueira.
Funcionários e máquinas da empresa de engenharia vencedora da licitação para a execução da obra já finalizaram a implantação de meios-fios, canteiro central e a preparação da base para asfaltamento das duas pistas.
Após o nivelamento e adequações necessárias na junção com a Avenida Morangueira será executada a pavimentação da parte final das duas pistas.
Depois que o trecho final da via for liberado para o trânsito, o retorno para a Avenida Morangueira será feito na área próxima à torre de transmissão de energia, localizada no canteiro central da Avenida Campolina.
Prolongamento da Herval
No conjunto de obras também foram finalizados os procedimentos complementares de drenagem em todo o trajeto de prolongamento da Avenida Campolina e a complementação da segunda pista da Rua João Luis Dias – no Parque Residencial Cidade Nova – que fará futura ligação com as duas pistas do setor norte da Avenida Herval, atualmente interrompida na altura do Jardim Imperial II.
As obras fazem parte do Programa de Mobilidade Urbana, do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), e preveem investimentos de R$ 25 milhões.
Rua Cristal
Também para servir de contorno viário na parte oeste da Universidade Estadual de Maringá (UEM), estão em andamento os trabalhos de abertura de um novo trecho da Rua Cristal, que está sendo prolongada desde o cruzamento com a Avenida Mário Clappier Urbinatti, no Jardim Canadá, até a Rua Dr. Miguel Zacarias, na Vila Progresso, com futura extensão até a Avenida Colombo.
Os trabalhos já envolveram a remoção de uma faixa de área plantada de eucalipto para implantação do leito das duas pistas da rua, que também ganhará galerias de águas pluviais, pavimentação asfáltica, calçadas, arborização e sinalização.
Rua Antonio Franco
Ainda na região norte da cidade a Rua Cristal fará ligação viária com a Avenida Pioneiro Antonio Franco de Morais, que está sendo duplicada desde o cruzamento com a Avenida Alexandre Rasgulaeff até a Rua Opala, nos fundos do Jardim Paraíso.
As obras em execução nas ruas Cristal e Antonio Franco de Morais terão custo de R$ 3,3 milhões e também fazem parte do Programa de Mobilidade Urbana do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).
Pontes na Rasgulaeff
Também na região norte de Maringá são providenciadas as bases para o lançamento de vigas das duas pontes, com extensão de 19,3 metros, que estão em construção em cada uma das pistas da Avenida Dr. Alexandre Rasgulaeff. A construção das pontes visa eliminar alagamentos no ponto de travessia sobre o córrego Mandacaru, na área de baixada entre os jardins Imperial II e Paraíso.
No avanço das obras, que dependia da remoção de uma tubulação de esgoto da Sanepar, serão assentadas as vigas protendidas, pré-moldadas em concreto armado, que darão sustentação à estrutura que transpõe o córrego Mandacaru.
As vigas são fabricadas no próprio canteiro de obras.
Ponte na Palmital
Outra ponte, similar às da Avenida Dr. Alexandre Rasgulaeff, é construída em área próxima, também para transposição do córrego Mandacaru, ligando as ruas Palmital e Pioneiro Arlindo Pedralli, no fundo de vale da divisa do Jardim Santa Helena com o Parque Residencial Quebec.
No total, as três pontes terão área total de 776m² e custo aproximado de R$ 2,5 milhões, com recursos financiados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).
Avenida João Pereira
Equipe técnica da Diretoria de Infraestrutura, da Secretaria Municipal de Obras Públicas (Semop), também atua na elaboração de readequações no projeto original para execução das obras de pavimentação asfáltica, galerias de águas pluviais e galeria celular na Avenida João Pereira, na região noroeste de Maringá.
O projeto original prevê a ligação da via desde a Rua Henrique Bim – próxima ao futuro viaduto da Avenida Colombo, no Jardim Indaiá – até a Avenida Pintassilgo, que é o prolongamento da Avenida Dr. Alexandre Rasgulaeff, na divisa do Jardim Brasília com o Parque das Laranjeiras.
Para minimizar os impactos ambientais no ribeirão Maringá, as readequações no projeto preveem a construção de um pontilhão em curva na Avenida João Pereira, no trajeto de 135 metros de extensão entre a Rua das Mangueiras e a Rua Pioneira Arminda Buschini Seravalli, além de duas pontes sobre o Ribeirão Maringá, na Avenida José Alves dos Santos.
Avenida José Alves 
O orçamento do projeto para levar à licitação as obras de readequações nas duas pistas da Avenida José Alves dos Santos, na região noroeste da cidade, está sendo finalizado pelas equipes da Secretaria Municipal de Obras Públicas (Semop).
O projeto para construção das duas pontes prevê a substituição das galerias celulares inicialmente projetadas para transpor o Ribeirão Maringá, que se junta ao córrego Nazareth, na altura da Rua Senador Accioly Filho, no Jardim do Carmo.
Contorno Sul
No Anel Viário Prefeito Sincler Sambatti – o Contorno Sul – a Prefeitura de Maringá teve liberados R$ 12,7 milhões, do Governo do Paraná, para executar obras de reforma geral e pavimentação de toda a extensão da via.
Além da readequação do asfalto, os investimentos preveem também a atualização e modernização da sinalização horizontal e vertical.
As melhorias previstas para a via serão executadas por empresa a ser licitada pela Secretaria Municipal de Serviços Públicos (Semusp).
Viadutos do Contorno Norte
Em relação ao Contorno Norte, a Prefeitura de Maringá aguarda autorização do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) para abrir licitação que visa a construção da segunda pista sobre os seis viadutos já existentes e a construção de outra transposição da via, por meio de duas pistas na Avenida Américo Belay, na altura do Jardim Dias.
A construção da segunda pista de transposição é prevista para as avenidas Guaiapó, Tuiuti, Franklin Delano Roosevelt, Kakogawa, São Judas Tadeu e Mandacaru, ao custo de R$ 24,8 milhões, já disponíveis pelo Governo Federal.

Comentários

comentários