Gravidez & Filhos

Sol e saúde bucal na gravidez: vitamina D é importante para os dentes do bebê

A primeira consulta ao dentista é feita no primeiro ano de vida, mas cuidados com a saúde oral dos bebês devem começar ainda na gestação. Na oitava semana de gravidez, os dentes de leite já estão em processo de surgimento e, neste período, uma dieta com a quantidade adequada de vitamina D é essencial para que a criança nasça com uma formação dentária saudável. De acordo com a dentista especializada em odontopediatria Maria Tereza Wendel, o consumo da substância é fundamental para o desenvolvimento dos dentes e ossos do bebê. “A vitamina D mantém a concentração de cálcio no sangue: ele vai se juntar ao fósforo, tornando os dentes mais rígidos. É a vitamina D que faz essa fixação do cálcio nos ossos e nos dentes”, afirma a especialista.

De fácil obtenção, a vitamina D é a única que o nosso próprio corpo é capaz de sintetizar através da exposição à luz solar. Uma dieta desequilibrada, com um consumo abaixo da média indicada, pode prejudicar a saúde dos bebês em gestação, implicando diversos tipos de problemas orais no futuro. “Os dentes podem vir a erupcionar mais tarde, podem nascer com falhas no esmalte, e se o esmalte não estiver bem formado, é mais fácil contrair cárie. Além disso, são grandes as chances da criança nascer com uma estrutura dentária incorreta”, diz a odontopediatra Maria Tereza Wendel.

De acordo com especialista, a vitamina D pode ser facilmente obtida, sendo necessária uma rotina de apenas 20 minutos sob o sol, antes das 10h da manhã, para a regulação do nível da vitamina no sangue.  A quantidade adequada da substância no sangue varia de acordo com cada metabolismo. Segundo Maria Tereza, é necessária uma consulta profissional para avaliar se há falta ou excesso de vitamina D na dieta. “Elas precisam procurar um obstetra. Existe um exame que é feito em laboratório, que vários convênios já permitem, custa cerca de R$ 120, e ele analisa a dosagem da Vitamina D no nosso sangue. Com base neste procedimento, o médico vai prescrever mais ou não”, aconselha a profissional.

Embora o consumo de vitaminas esteja na moda, a dentista afirma que cada diagnóstico é individual, e que as doses necessárias variam de acordo com cada indivíduo. “O excesso pode comprometer. Não se pode tomar vitaminas sem prescrição médica”, afirma. De acordo com a especialista, as gestantes negras devem ter maior atenção sobre seus níveis de vitamina D. “Uma pessoa negra possui mais melanina na pele, o que dificulta a passagem dos raios de sol. Por isso, uma pessoa negra precisa de mais vitamina D que uma pessoa branca. Assim como alguém que more no Canadá, por exemplo, vai ter chances de ter insuficiência de vitamina D, porque lá o tempo de sol é maior”,  diz a dentista.

Comentários

comentários