Cidadão

Reclamações sobre filas em bancos aumentam mais de 90% no Paraná

O número de consumidores que procuraram o Procon por causa do tempo exagerado de espera nas filas dos bancos aumentou quase 92% no Paraná em 2018. O órgão de defesa do estado realizou 188 atendimentos no ano passado relacionados às filas das agências. Nos dois anos anteriores, esse número foi bem menor: 98 casos em 2017 e também em 2016. As relações sobre este tipo de problema vêm aumentando ano após ano desde 2014.

No Paraná, uma lei estadual estabelece o tempo de 20 minutos como um período máximo “razoável” de espera para ser atendido. Nas vésperas ou nos dias seguintes aos feriados, o tempo máximo passa para 30 minutos. O texto, em vigor desde 2001, prevê multas de R$ 1.000,00 para os infratores.

As cobranças aumentam gradativamente, podendo chegar a R$ 10 mil a partir da sexta reincidência. Neste caso, o infrator também é incluído no “cadastro negro” do Procon, e só deixa a lista quando cumprir todos os requisitos necessários para cumprir a legislação.

Em 2019, contabilizando janeiro e a primeira semana de fevereiro, já são 16 reclamações no Procon sobre a demora de atendimento nos bancos. Além do órgão de defesa do consumidor, quem se sente prejudicado pelo descumprimento do prazo “razoável” pode procurar o Poder Judiciário.

 

Ainda neste mês o Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília, deverá decidir se a espera prolongada em filas de bancos é um caso passível de indenização. Os ministros tomaram a decisão com base no Código de Defesa do Consumidor, que sobrepões as legislações estaduais.

2012: 52

2013: 147

2014: 71

2015: 89

2016: 98

2017: 98

2018: 188

2019: 16

Paraná Portal

Comentários

comentários