Geral

Senado aprova multa para empresa que não pagar salário igual a homens e mulheres

O governador Beto Richa participou, nesta sexta-feira (28) em Sertanópolis, na região de Londrina, da inauguração da nova unidade industrial do Moinho Globo. A empresa investiu R$ 100 milhões para colocar em funcionamento o novo moinho, que opera a plena capacidade, de 600 toneladas de trigo por dia, desde fevereiro desse ano. Sertanópolis,28/04/2017 Foto: Jaelson Lucas / ANPr

O Senado aprovou nesta quarta-feira (13) projeto de lei que inclui na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) multa para empregadores que não pagarem salários iguais para homens e mulheres que desempenhem a mesma função.

A punição também vale para descriminação em relação a idade, cor ou situação familiar.

Quem cometer esta infração terá que pagar multa em favor da empregada em valor correspondente ao dobro da diferença salarial verificada mês a mês.
O texto segue para votação na Câmara.

“A diferença salarial entre homem e mulher fere o princípio da isonomia consagrado em nossa Constituição e legislação vigente. Contudo, e apesar das inúmeras políticas de igualdade de gênero promovidas pelas mais diversas organizações, sejam públicas ou privadas, ainda se registram casos de discriminação contra a mulher no que se refere a remuneração”, diz o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), autor do projeto.

FolhaPress

 

“É uma luta histórica das mulheres brasileiras: na mesma função, na mesma atividade, que não haja diferença por sexo, por cor ou por hierarquia familiar; mas, sim, que tenham direito ao mesmo salário”, disse Paulo Paim (PT-RS).

Comentários

comentários