[crellyslider alias="topo"]
Paraná

Paraná tem R$ 1 bilhão em obras judicializadas

Sem conseguir levar adiante as licitações de manutenção, o DER-PR (Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná) alertou ontem que 39% das rodovias estaduais estão sem conservação. O governo se queixa que diversas decisões judiciais liminares travam os investimentos.

“Por maior que seja o esforço do DER, não se consegue iniciar os serviços. E com esse período de chuvas, os problemas vão se agravando e se multiplicando”, diz o diretor- -geral do DER, Paulo Tadeu Dziedricki.

Segundo o governo, o serviços de conservação contratados e em andamento totalizam 6,2 mil km dos 10,2 mil km. Isso equivale a 61% da malha estadual pavimentada. O restante (39%) está sem contratos de conservação.

O maior problema, diz o governo, é no Perc II (Programa Estadual de Recuperação e Conservação de Estradas) para o qual R$ 1,5 bi havia sido reservado.

As ordens de serviço começaram a ser emitidas no último mês de junho, para um total de 10,2 mil quilômetros.

Segundo o governo, dos 33 lotes, oito estão parados na Justiça. “As regiões Norte e Noroeste do Estado têm aproximadamente 34% das rodovias de todo o Paraná e concentram o maior número de licitações sub judice”, diz o diretor-geral.

O DER também destaca que toda a malha está sem serviço de roçada. Além disso, novos projetos estão parados, totalizando o R$ 1 bilhão represado nos tribunais.

Metro Curitiba