Curitiba

Aeroporto recebe ação contra o tráfico de pessoas

Um grupo com 80 voluntários da organização não governamental Jovens Com Uma Missão (Jocum) participou da ação de impacto contra o tráfico de pessoas, nesta quinta-feira (27), no aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais. A ação faz parte da Campanha Coração Azul realizada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos. Curitiba, 27/07/2017. Foto: Divulgação SEJU

Um grupo com 80 voluntários da organização não governamental Jovens Com Uma Missão (Jocum) participou da ação de impacto contra o tráfico de pessoas, nesta quinta-feira (27), no aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

O tráfico humano é crime e está associado a diversas outras violações de direitos humanos. “É motivado por diferentes propósitos, como exploração sexual, trabalho escravo, mendicância forçada, servidão doméstica e retirada involuntária de órgãos para transplante”, explica o secretário da Justiça, Artagão Júnior.

“No Paraná só este ano foram recebidas 72 denúncias de suspeita de tráfico humano, o que demonstra a importância de debater ainda mais o assunto e alertar que o tráfico de pessoas é real”, afirma o secretário.

Campanha

A campanha visa ampliar o conhecimento e mobilizar a sociedade a respeito deste crime velado. “A ideia é fazer com que as pessoas comentem, falem sobre o assunto. Só assim poderemos prevenir casos futuros”, explica Silvia Xavier, coordenadora do Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas do Paraná, que coordena a campanha.

A Jocum é uma organização missionária internacional que conta com jovens por todo o mundo. “Nós mobilizamos nossos missionários em parceria com o Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas para impactar a população mostrando que esse crime existe e acontece”, disse Natalia Vasconcelos, que integra a ONG. “Essa atividade criminosa rouba os sonhos de qualquer um, pois são ofertas que atraem pessoas desempregadas, vulneráveis aos aliciadores”, explicou.

A prevenção é sempre a melhor iniciativa. Portanto, ao verificar que existem indícios de tráfico humano, o cidadão precisa denunciar:
Disque Direitos Humanos: Disque 100
Disque Denuncia: Ligue 181
Central de Atendimento à Mulher: Ligue 180
Ministério Público Federal: (61) 3105-5100 – [email protected]
Polícia Federal: Fone 194 – www.dpf.gov.br
Brasília: (61) 3323-2302 / 2024-8450
São Paulo: (11) 3585-5000
Paraná: (41) 32517500
Defensoria Pública da União
Em Brasília: (61)  3319-4317 – www.dpu.gov.br/
Em Curitiba:(41) 3304-4373 – [email protected]
Em Foz do Iguaçu:(45) 3521-3681- [email protected]
Ministério Público do Estado do Paraná (MPPR): (41) 3250-4000
www.mp.pr.gov.br/
Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos: (41) 3221-7281/
www.justica.pr.gov.br/
Departamento de Direitos Humanos e Cidadania (DEDIHC): (41) 3221-7261/
www.dedihc.pr.gov.br
Núcleo Estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas no Paraná (NETP/PR):
(41) 3235-3291/ 3221/7252/ [email protected]
No exterior ligue:
Espanha: 900 990 055 (opção 1) Informe: 61-3799.0180
Portugal: 800 800 550 (opção 1) Informe: 61-3799.0180
Itália: 800 172 211 (opção 1) Informe: 61-3799.0180

Paraná Portal

Comentários

comentários

Comentar