Mandaguari

Mandaguari: Vereadores solicitam a municipalização da recuperação de nascentes

Município tem aproximadamente 25 minas mapeadas; Trabalho de preservação é atualmente executado em parceria com a Emater
Os vereadores de Mandaguari, Luiz Carlos Garcia e Sebastião Alexandre da Silva, requisitaram ao Poder Executivo a criação do Programa Municipal de Preservação das Nascentes. Os parlamentares têm o objetivo de que, com a implantação do projeto, Mandaguari atue de maneira mais efetiva na recuperação e na proteção das minas d’água em processo de mapeamento. O pedido para a criação do programa consta no Requerimento Legislativo 092/2019.
De acordo com os vereadores, a Prefeitura de Mandaguari está elaborando um projeto de lei para atender à solicitação. “Todos os colegas entenderam a importância e votaram a favor do requerimento. O prefeito Romualdo Batista também se sensibilizou e colocou a equipe à disposição”, explicou Silva. “Estamos falando do elemento mais vital para o equilíbrio ecológico: a água. E, com essa junção de esforços, tenho certeza de que muito em breve o município terá uma regulamentação para cuidar do nosso patrimônio ambiental.”
No último mês, os parlamentares recuperaram quatro nascentes localizadas na área rural de Mandaguari. As ações de preservação tiveram o apoio do coordenador de Saneamento Ambiental do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Ricardo Augusto da Silva, da equipe local da Emater, da engenheira ambiental do município, Jennifer Martins Waldhelm, e do engenheiro ambiental da empresa Rizoma Meio Ambiente e Saneamento, Renan Borin Toscano de Brito. O trabalho consiste na limpeza, no assentamento de pedra rachão, no encanamento da água minada e, por fim, na proteção do entorno com uma composição à base de terra e cimento.
Além dessas quatro nascentes recuperadas, seis já foram mapeadas pela equipe e, ainda, outras 15 estão sendo averiguadas. “Ou seja, é fundamental que o município sistematize a recuperação e a proteção dessas minas e, possivelmente, de outras que serão localizadas”, defende Garcia. “Essa é uma responsabilidade de toda a comunidade, sem dúvidas, mas que precisa de controle e apoio por parte do poder público de Mandaguari. Então, nossa expectativa é de que o projeto de lei seja o quanto antes enviado para a tramitação e a aprovação na Câmara Municipal. Um programa desse só tem a contribuir com o nosso futuro.”

CÓRREGOS

Em julho, Silva e Garcia protocolaram no Ministério Público do Paraná (MP-PR) um pedido de averiguação de possível contaminação por esgoto sanitário sem tratamento e de rejeitos industriais em córregos de Mandaguari. Um relatório com indícios de despejos irregulares em ribeirões (Córrego Juquiá e Rio Keller) foi apresentado como prova da denúncia.
Assessoria de Imprensa

Comentários

comentários