Maringá

CORONAVÍRUS Procon apreende álcool e faz pesquisa sobre cesta básica

O Procon de Maringá apreendeu ontem, 24, álcool vendido irregularmente e começou hoje, 25, nova pesquisa de preços de produtos da cesta básica. Diferença de algumas mercadorias chega a mais de 96%. A apreensão aconteceu numa farmácia na praça Farroupilha, na avenida Pedro Taques. Foram 28 litros de produto destinado para limpeza de ambientes hospitalares e que não pode ser comercializado para público. Além de duas bisnagas com álcool liquido sem procedência nem nota fiscal. Suspeita de fiscais é que material seria produzido e comercializado no local. Produtos foram levados para sede do Procon e procedimentos são apurados.

Procon começou hoje uma pesquisa comparando preços da cesta básica. Foram pesquisados 49 itens. Trabalho foi em cinco supermercados varejistas e já foi identificada grande diferença de preços de alguns produtos. “Pedimos histórico do preço de venda e as notas fiscais do fornecedor para comparar margem de lucro”, informa fiscal do Procon, Bruno Cesar Bieli.

Entre itens mais caros verificados estão bandeja com uma dúzia de ovos, leite, arroz, açúcar, filé de peito de frango, óleo e feijão. Já entre as maiores variações de preços estão tomate extra tipo longa vida com 96,99% entre um mercado e outro. Depois filé de peito de frango congelado com 64,49%. E em seguida creme dental 90 gramas com 62,33%.

Consumidores denunciaram que perceberam alguns produtos mais caros nos últimos dias em função do receio pelo coronavírus. Com isso, Procon fez agenda de vistorias e pesquisas. Trabalho será retomado amanhã nos estabelecimentos atacadistas. Denúncias podem ser feitas nos telefones 151 e 3293-8150.

Diretoria de Comunicação

Comentários

comentários