Paiçandu

Secretaria de saúde orienta sobre surto de conjuntivite

Conjuntivite é a inflamação da esclera (branco do olho) e a parte interna das pálpebras. Algumas das causas mais frequentes são vírus, bactérias e alergias. A doença é muito frequente na população, por causa do caráter contagioso, a contaminação pode ser por meio do uso em conjunto de toalhas, travesseiros, lenços, lápis, copos.

Sintomas: olhos avermelhados (hiperemia da conjuntiva), lacrimejamento, pálpebras inchadas e avermelhadas, secreção nos cantos dos olhos ou nas margens das pálpebras, intolerância à luz, sensação de areia nos olhos, pálpebras grudadas ao acordar e visão borrada.

A conjuntivite demora de três a quatro dias para começar e evoluindo para a cura em até 15 dias.

Período de transmissibilidade: de três a sete dias antes do início de sintomas até cerca de 2 semanas após (pode se prolongar enquanto houver vermelhidão nos olhos).

Medidas preventivas:

– Lavar com frequência as mãos e o rosto, com água e sabão;

– Manter acessível um desinfetante manual (por exemplo, álcool gel) e usá-lo com frequência;

– Evitar coçar os olhos;

– Usar lenços, toalhas, maquiagem, lentes, óculos e travesseiros individuais;

– Evitar o uso de objetos (lápis, lenços, copos, etc.) de pessoas portadoras de conjuntivites;

– Evitar frequentar piscinas;

Medidas recomendadas:

– Aplicar compressas geladas com água fervida ou filtrada 3 a 4 vezes ao dia, durante 15 minutos;

– Realizar higiene local, lavar dentro dos olhos com soro fisiológico gelado ou água filtrada gelada para eliminar a secreção;

– Lavar as mãos sempre após manipular ou tocar os olhos;

– Utilizar lenços descartáveis;

– Não utilizar remédios caseiros;

– Não utilizar maquiagem ou lentes de contato;

– Se possível, utilizar colírio de lágrima artificial três vezes ao dia para alívio e conforto nos casos de conjuntivite viral;

Comentários

comentários