Dicas

Chá de alface pode ser aliado para o sono e no combate à ansiedade

A alface é uma das hortaliças mais populares e faz parte da alimentação da maioria das pessoas, que, inclusive, têm ciência de que ela é muito benéfica para a saúde quando consumida como salada. O chá de alface, porém, ainda é visto como novidade por muitos. Conheça benefícios, receitas e cuidados necessários com o uso desse chá.


Para que serve o chá de alface?

Anna Carolina Diniz (CRN 16100966), nutricionista pós-graduada em Nutrição Biofuncional, Ortomolecular e Fitoterapia, comenta que o chá de alface é rico em minerais como magnésio, zinco, ferro e potássio, além de vitaminas como a A, C, E e K.

Camila Pedrosa (CRN 15858), nutricionista da clínica Viver Nutrição e Gastronomia, acrescenta que, além de ser rica em vitaminas e minerais, a alface possui lactupirina e lactucina, substâncias consideradas calmantes. Devido a isso, o chá tem se popularizado como um aliado para quem tem dificuldade para dormir.

Neste sentido, podem ser destacados como principais benefícios do chá de alface, de acordo com as nutricionistas:

Veja também
5 chás superpotentes pra ajudar a acabar de vez com a gordura abdominal
Ação calmante;
Efeito anti-inflamatório;
Ação antibacteriana (na pele);
Ação laxativa;
Ajuda no combate a inchaços ou obesidade (devido à ação diurética);
Ajuda na redução da pressão arterial (por ser rico em água e potássio, ajuda a eliminar o excesso de sódio e líquidos retidos no organismo);
Efeito antioxidante (ajudando a combater radicais livres);
Fortalecimento das vias respiratórias.
Fortalecimento da imunidade;
Como ocorre no caso de outros chás, para usufruir desses benefícios, o chá de alface deve ser consumido regularmente, em quantidades adequadas às particularidades de cada pessoa, preferencialmente dentro de uma dieta equilibrada, acompanhada por um(a) nutricionista.

Dúvidas sobre o chá de alface
O consumo desse chá ainda é algo novo e portanto é comum que surjam algumas dúvidas. Confira o esclarecimento para as principais questões abaixo:

Quais devem ser os cuidados com o consumo do chá de alface? Anna Carolina explica que um dos minerais presentes na alface é o manganês que, quando consumido em excesso, prejudica a tireoide. “Uma dica interessante é procurar fazer o chá com alface sem agrotóxicos, orgânico. Pois a contaminação por agrotóxicos sim é bem ruim para o organismo”, acrescenta.
Quais os efeitos colaterais do chá de alface? Além de poder prejudicar a tireoide, a nutricionista Camila explica que uso excessivo desse chá pode intoxicar, causar náuseas, vômitos e um efeito sedativo.
Chá de alface dá sono? Diminui a ansiedade? Anna Carolina destaca que, no talo da alface, existe uma substância leitosa chamada lactucina. “Essa substância ajuda no relaxamento, diminuindo a ansiedade e induzindo o sono. Então, o ideal seria tomar uma xícara do chá 30 minutos antes de deitar se o que você procura é dormir. Se o que você procura é reduzir a ansiedade, tome cerca de três xícaras ao dia.”
A especialista ainda lembra que, se você já faz uso de algum medicamento para sono ou ansiedade, não é indicado consumir o chá antes de consultar um profissional habilitado, pois podem haver interações e efeitos indesejados.

Por que não devemos dar chá de alface a bebês? “Os bebês devem ser alimentados exclusivamente com leite materno até os seis meses de vida. Após essa idade, o chá de alface não é recomendado, pois os efeitos calmantes podem causar sedação excessiva, alteração dos sentidos, intoxicação, náuseas e vômitos. O organismo do bebê é mais sensível, por isso não dê ao seu bebê nenhum chá sem antes falar com o pediatra”, destaca Camila Pedrosa.
Chá de alface emagrece? Anna Carolina responde que o chá de alface, por si só, não emagrece. “Mas como ele é relaxante e sedativo, acaba provocando uma maior saciedade e, assim, a pessoa tende a comer menos e deixar de lado doces e biscoitos, que são alimentos típicos da ansiedade”, diz.
A nutricionista Anna Carolina lembra que, ainda pensando na questão do emagrecimento, além dos benefícios do chá que podem (ainda que indiretamente) ajudar neste processo, consumir a folha de alface durante as refeições é excelente pelos nutrientes, quantidade de fibras e baixíssimas calorias.

Receitas de chá de alface

É no talo da alface que está a lactucina, entre outras substâncias que fazem do chá benéfico; por isso, ele não deve ser descartado no preparo. Algumas preparações utilizam o talo e a folha; e outras, somente o talo. Confira as principais receitas abaixo:

1. Chá de alface simples
Separe 200 ml de água e cerca de 7 folhas de alface higienizadas;
Coloque em uma chaleira e leve ao fogo até levantar fervura;
Quando levantar fervura, deixe fervendo por mais cinco minutos;
Desligue o fogo;
Coe e espere amornar para tomar.
2. Chá de talo de alface
Em uma xícara, coloque cerca de seis talos de alface;
Ferva uma xícara de água;
Jogue a água quente diretamente na xícara com o talo de alface;
Espere cerca de cinco minutos e mexa um pouco;
Adoçe a gosto (se achar necessário);
Tome o chá desprezando os talos.
3. Chá de alface e hortelã
Em uma chaleira, ferva 200 ml de água;
Quando levantar fervura, desligue o fogo;
Adicione três folhinhas de hortelã e duas folhas de alface;
Deixe o chá descansando por 15 minutos;
Coe e beba.
4. Chá de alface e casca de maçã
Coloque 200 ml de água para aquecer em uma chaleira;
Assim que levantar fervura, desligue o fogo;
Adicione as cascas de maçã e a folha de alface picada;
Deixe a mistura em infusão por 10 minutos;
Espere amornar, coe e tome o chá.
Vale destacar que, como no caso de outros chás, o ideal é tomar sem adoçar, especialmente se o objetivo for a perda de peso. Mas, se sentir a necessidade do doce, utilize mel ou algum adoçante recomendado por sua nutricionista.

Agora você já sabe que o chá da alface realmente tem propriedades calmantes, pode auxiliar no sono, entre outros benefícios que oferece. Se você adora um chazinho, conheça também as propriedades valiosas do chá de manjericão.

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Comentários

comentários