Dicas

Quais roupas devemos dobrar e quais pendurar

Na hora de organizar o guarda-roupa pinta um monte de dúvidas e uma delas é quais roupas devemos dobrar e quais pendurar. Isso pode fazer uma diferença enorme na hora de acomodar as peças. A boa notícia é que não é tão difícil saber, basta observar alguns detalhes em cada tecido e modelo de roupa.

No geral, peças confeccionadas em tecidos mais encorpados (como o brim, o linho, o crepe e a seda) que não possuem elasticidade como a malha, devem ser penduradas. Esses materiais tendem a amarrotar mais ou apresentarem marcas se forem dobrados.

E não é somente o tipo de tecido que irá definir o que pendurar, algumas peças “pedem” cabides! É o caso das camisas sociais, blusas tomara que caia, regatas de alças finas, calças de seda, linho e alfaiataria, saias e bermudas que não sejam de malha, casacos estruturados, blazers e vestidos.

O que iremos pendurar?
Se há possibilidade de pendurar camisas sociais, ótimo. Elas agradecem! Imagino que o cabide seja o seu melhor aliado. Elas podem ser separadas por tamanho de manga (curta ou longa). Podem ser organizadas por padronagens (xadrez, listras) ou ainda, respeitando-se o degrade de cores quando lisas. Feche os dois primeiros botões para que a camisa fique ainda mais alinhada e pronto.

Isso pode oferecer a você muitas vantagens e uma delas é a praticidade em encontrá-las, devido à fácil visualização. Além disso você economiza tempo e dinheiro, pois evita a necessidade de usar o ferro para passá-las sempre que precisar vesti-las.

© Fornecido por Superela
Saias, bermudas e shorts (confeccionados em tecidos encorpados) ficam bem em cabides com presilhas. Esse tipo de cabide é ideal também para blusinhas tomara que caia e vestidos que não possuem alças.

© Fornecido por Superela
Você conhece um tecido mais versátil que o jeans? Pois é, eles ficam ótimos tanto pendurados quanto dobrados. O importante é estarem à mão sempre que você precisar.

© Fornecido por Superela
No geral, entre dobrar e pendurar, o melhor é observar o espaço disponível. Nem sempre temos aquele closet dos nossos sonhos ou mesmo um guarda-roupa que comporte nosso acervo. Nesse caso, temos que lançar mão da criatividade e dar uma rebolada para caber tudo. Organizar é o primeiro passo, lógico, e priorizar nossas coisas conforme o uso é uma decisão sábia.

E qual o modelo certo de cabide para pendurar cada tipo de roupa?

© Fornecido por Superela
Mais que pendurar, saber o modelo certo para cada tipo de roupa é fundamental. Obviamente não é necessário comprar um modelo de cabide para cada peça, pois o ideal é a padronização.

Nesse caso, avalie qual atende melhor suas necessidades e opte por modelos versáteis ou até básicos, dependendo das características gerais do seu vestuário. Se você tem um monte de modelos tomara que caia, vestidos e saias, cabides com presilhas irão deixá-los bem alinhados. Se não é o seu caso e você é bem básica, opte por cabides tradicionais, que poderão ser de veludo, madeira ou plástico.

Na dúvida, veja o que cada cabide comporta:
1. Cabides de veludo – são ótimos para roupas que tendem a deslizar como blusas finas, vestidos em tecidos delicados, além de serem fininhos, elegantes e leves.

2. Cabides com prendedores ou presilhas – ideais para shorts, bermudas, vestidos tomara que caia, saias e calças, facilitam a visualização das peças e mantem tudo esticadinho. Escolha modelos onde a presilha não tenha muita pressão para que não marquem ou até danifique suas roupas.

3. Cabides de madeira – são ideais para armários amplos ou para quem tem uma veia minimalista, pois eles são mais largos e ocupam espaço. O tradicional é ótimo para camisas sociais femininas, masculinas e outras peças.

4. Cabides de acrílico – podem não ser tão fininhos, mas são bonitos, funcionais e baratos. Dependendo do modelo podem ser usados para a maioria das roupas, exceto roupas que precisem ser mais estruturadas, como ternos e blazers.

5. Cabides de plástico – há alguns modelos muito bons e duráveis no mercado. Embora os ideais sejam os mais grossinhos, com ganchinhos para peças com alcinhas, lembre-se que ocuparão tanto espaço quanto os de madeira.

6. Cabides para calças – se o seu armário não tem calceiro ou se você prefere pendurar calças separadamente, existem opções de cabides apenas para este fim. E aqui vai uma dica ótima! Utilize cabides infantis para pendurar calças femininas, você vai perceber que elas ficam justinhas e não deslizam.

Existe uma série de modelos de cabides no mercado. Antes de comprar, verifique o modelo e também a quantidade que irá precisar. Coloque apenas uma peça por cabide, para não comprometer a visualização. A única exceção são os conjuntos de roupas, como o terno e o tailleur, que devem ser pendurados juntos.

© Fornecido por Superela
O que iremos dobrar?
Roupas bem dobradas economizam espaço no armário e facilitam a rotina. Camisetas, casacos de tricô, blusas de lã, vestidos e saias de malha, roupas de ginástica, meias, calças, shorts, roupas íntimas e pijamas podem ser dobrados e acomodados em gavetas ou prateleiras.

© Fornecido por Superela
Roupas íntimas também merecem atenção. Você pode reservar uma única gaveta e separar calcinhas de peças delicadas, como os sutiãs com bojo.

© Fornecido por Superela
Embora seja comum algumas pessoas fazerem pacotinhos e bolinhas com as meias, para que não se percam os pares, essa forma estraga o elástico.

Quer preservar suas meias? É preciso apenas obedecer sua estrutura e não forçar a abertura. Você pode até fazer rolinhos e apenas colocá-las onde achar melhor, seja em gavetas, caixas, cestinhas ou colmeias organizadoras.

© Fornecido por Superela
Baby dolls e pijamas podem ser guardados juntos ou em “pacotinhos” para não se perderem. A regra é a mesma tanto para adultos quanto para crianças: conjunto guarda junto!

© Fornecido por Superela
As roupas de malha tendem a ficar marcadas quando penduradas no cabide. As camisetas, por exemplo, podem ficar deformadas e com marcas nos ombros.

Mesmo que as marcas de cabides possam ser eliminadas da maior parte das roupas ao serem passadas, se pudermos evitar ganharemos tempo.

Nesse caso é recomendado guardá-las dobradas e organizadas em gavetas ou mesmo cestas organizadoras, dispostas em prateleiras.

© Fornecido por Superela
As roupas de malha tendem a ficar marcadas quando penduradas no cabide. As camisetas, por exemplo, podem ficar deformadas e com marcas nos ombros.

Mesmo que as marcas de cabides possam ser eliminadas da maior parte das roupas ao serem passadas, se pudermos evitar, ganharemos tempo.

Nesse caso é recomendado guardá-las dobradas e organizadas em gavetas ou mesmo cestas organizadoras, dispostas em prateleiras.

© Fornecido por Superela
Casacos de tricô e blusas de lã não precisam ser pendurados, pois além de correrem o risco de ficarem deformados, ocupam muito espaço. Principalmente se forem volumosos!

Em gavetas podem ser acomodados dobrados e enfileirados de forma de possam ser vistos ao mesmo tempo. Em prateleiras há duas possibilidades, simplesmente dobrar e empilhar ou guardá-los em embalagens de TNT para permitir a ventilação.

© Fornecido por Superela
A forma como você irá organizar pode fazer toda a diferença
Nas gavetas, embora seja o mais comum, evite empilhar roupas, pois assim não será possível a visualização. As peças podem ser dobradas e mantidas como num arquivo, em fileiras. Esse tipo de dobra otimiza o espaço das gavetas e possibilita, também, uma melhor visualização de tudo o que você tem nesse espaço.

Sabendo quais roupas devemos dobrar e quais pendurar, torna-se muito mais simples organizar, não é mesmo? Assim, o seu guarda-roupa se mantém em ordem de forma inteligente, atendendo as suas necessidades e com pouco esforço. Não perca tempo, corra lá e coloque em prática essas dicas agora mesmo!

Comentários

comentários