Futebol

Balanço aponta diferença de R$ 36 mi em contas de Corinthians e Arena

A reportagem apurou com fontes ligadas ao clube que a diretoria corintiana acredita no acerto das contas e enxerga 2018 como exemplo.
O balanço do Fundo da Arena Corinthians apontou diferença de R$ 36,1 milhões no valor que ele espera receber do clube, relativo às rendas dos jogos e outras receitas do estádio. O documento mostra que o time paulista precisa repassar quase R$ 47 milhões, mas as contas alvinegras apontam um valor bem inferior, de R$ 10,9 milhões.

O cenário causou impasse entre as partes, segundo o relatório de um auditor independente. O documento frisa, em um trecho, que “o Fundo possui valores a receber do Sport Club Corinthians Paulista”.

Ainda de acordo com o documento obtido pela reportagem do UOL Esporte, a administração do Fundo recebeu a confirmação do valor mencionado pelo Corinthians em seu balanço por meio de uma “carta de circularização”, na qual o clube informa que o repasse será de R$ 10,9 milhões.

“Não foi identificado procedimento de conciliação entre as partes envolvidas, sendo assim, nós ficamos impossibilitados de avaliar, por meio de outros procedimentos de auditoria, a adequação do referido saldo a receber e seus possíveis impactos no resultado do exercício”, disse o auditor no relatório.

Diante do impasse, o Conselho Fiscal do clube terá de analisar os números para corroborar os saldos. Procurado pela reportagem, o Corinthians disse que “não lhe cabe comentar o balanço de outra instituição e que os números apontados em seu balanço estão comprovados no documento e foram submetidos à auditoria externa, que emitiu parecer sem ressalvas.”

A reportagem apurou com fontes ligadas ao clube que a diretoria corintiana acredita no acerto das contas e enxerga 2018 como exemplo. Na ocasião, o mesmo impasse ocorreu nos balanços.Inaugurada há seis anos, a Arena Corinthians é gerida pelo fundo, que também é responsável pelo pagamento do estádio. O clube está sem receita de bilheteria desde então. Toda a arrecadação dos jogos, assim como patrocínios no local, estacionamento e outros eventos, é destinada ao fundo.

Na última semana, o presidente do clube, Andrés Sanchez, disse que a dívida com a Caixa Econômica Federal é superior a R$ 500 milhões, incluindo juros. Segundo o mandatário, já foi pago o valor de R$ 172 milhões do financiamento de R$ 400 milhões.

A parcela mensal prevista em contrato é R$ 5,7 milhões. O Corinthians, há tempos, negocia com a Caixa a redução desse valor. Diante da crise gerada pela pandemia do novo coronavírus, haverá novas conversas.

Comentários

comentários