Comportamento

Anorgasmia: entenda o que é e quais as causas dessa disfunção

Alguns traumas, falta de preliminares ou até mesmo a anatomia do corpo podem causar doenças psicológicas ou disfunções sexuais, como é o caso da anorgasmia. A ausência de orgasmo, mesmo com estímulos corretos, pode trazer muitos prejuízos para a mulher. Conversamos com a psicóloga e sexóloga Keila Oliveira para explicar as causas e possíveis tratamentos para a anorgasmia. Confira!

Índice do conteúdo:
O que é
Causas
Diagnóstico
Tratamento
O que é anorgasmia?

A anorgasmia é uma disfunção sexual muito comum entre as mulheres. De acordo com Keila, ela pode atingir entre 30 a 75% de pessoas. Também conhecida como transtorno do orgasmo, trata-se da ausência dele, mesmo após um período de excitação.

Essa inibição do orgasmo pode ser causada por fatores psicológicos, anatômicos, medicamentosos e até mesmo pressão social. E não é porque é comum que vamos aceitá-la sem entender as causas e como tratar, não é mesmo? Entenda melhor como essa disfunção acontece.

Anorgasmia x Frigidez
De acordo com Keila, há um conflito de terminologias para os pesquisadores atuais sobre o assunto: alguns classificam frigidez como desejo sexual hipoativo e outros como anorgasmia. Porém, uma pessoa com frigidez pode ou não ter anorgasmia e vice-versa.

Tipos de anorgasmia
De cunho primário: é quando a mulher apresenta a disfunção desde suas primeiras relações sexuais.
De cunho secundário: acontece nos casos em que a mulher já havia conseguido orgasmos, mas, por algum motivo, passa a não ter mais.
Situacional: ocorre quando a anorgasmia acontece em determinadas situações ou com determinados parceiros.
Generalizada: quando a disfunção acontece sempre, em qualquer situação.
As duas primeiras situações podem se somar às duas segundas. Independente do sintoma com o qual você tenha se identificado, é importante que você procure uma especialista para entender melhor seu problema.

Principais causas
A anorgasmia apresenta diferentes causas, podendo ser até seu parceiro ou parceira um dos motivos da disfunção. Entenda melhor todas as causas possíveis:

Causas psicológicas
Abuso sexual;
Organização familiar desestruturada;
Histórico de desrespeito e traições na família;
Doenças mentais, como depressão;
Necessidade muito grande de controle.
Causas emocionais
Educação sexual religiosa;
Ausência de educação sexual;
Não conhecimento do próprio corpo;
Vergonha no sexo.
Causas externas
Parceiro com ejaculação precoce;
Abuso de álcool, drogas ou psicotrópicos;
Anatomia do corpo que propicia a anorgasmia.
Conhecer o próprio corpo e se livrar de amarras sociais é importantíssimo para garantir uma relação sexual prazerosa. Porém, como vimos, outros fatores podem interferir. Procure ajuda profissional para um diagnóstico completo.

Como a anorgasmia é diagnosticada?
Para Keila, é muito importante que a mulher passe por um diagnóstico profissional, pois a disfunção pode estar ocorrendo por conta de falta de preliminares, traumas e até mesmo fatores alheios a ela, como parceiros com ejaculação precoce. É necessário procurar um profissional, que irá avaliar a paciente e suas parcerias por meio de uma anamnese.

A sexóloga reforça que não se pode diagnosticar uma mulher com anorgasmia quando há estímulos sexuais insuficientes, ou quando ela consegue ter orgasmos se masturbando sozinha, mas não consegue quando está com algum parceiro ou parceira.

Tratamento da anorgasmia
A partir de um diagnóstico eficaz, feito com apuração clínica rigorosa, o sexólogo ou ginecologista pode indicar diferentes tipos de tratamento: tudo irá depender de qual for o seu problema. Veja possíveis tratamentos:

Terapia sexual: ela ajuda no conhecimento do próprio corpo e em uma educação sexual adequada. Você pode fazer em casal, caso tenha algum parceiro ou parceira, ou sozinha.
Acompanhamento psicológico: caso a anorgasmia seja resultado de algum trauma ou abuso sofrido anteriormente, esse será o tratamento indicado. Ele também serve para os casos em que a pessoa possui inibições em relação ao sexo, como insegurança ou tabus.
Reposição hormonal: feita nos casos em que há disfunção hormonal que atrapalhe as relações sexuais. Em alguns casos, é preciso tratar outras doenças alheias que podem causar anorgasmia.
Caso tenha se identificado, procure ajuda profissional. Independente de qualquer coisa, autoconhecimento é primordial no sexo. Aprenda tudo sobre masturbação feminina e aproveite!
Dicas de MUlher

Comentários

comentários