Gravidez & Filhos

Trabalho de parto: conheça as fases para identificar os sinais

Contrações uterinas capazes de provocar a dilatação do colo uterino. De acordo com Domingos Mantelli, ginecologista e obstetra, esta é a melhor definição de trabalho de parto. “São contrações do útero que cominam com a dilatação do colo uterino e, consequentemente e posteriormente, com o parto”, reforça o médico que é também o autor do livro “Gestação: mitos e verdades sob o olhar do obstetra”.

Trabalho de parto: sinais

ISTOCK

Confira quais são os principais indicadores de que uma mulher está entrando em trabalho de parto.

Contrações ritmadas (contrações por minuto)

Mantelli destaca que o trabalho de parto é caracterizado por contrações ritmadas, que possuem uma certa frequência. “A contração começa de meia em meia hora, de 20 em 20 minutos, de 15 em 15 minutos, de 10 em 10 minutos, de 5 em 5 minutos. Ela vai afunilando e tem um ritmo”, explica.

Mantelli explica que, com as contrações, consequentemente vai ocorrendo a dilatação do colo uterino – o que culmina com o parto.

Diarreia

Com as contrações e consequente dilatação do colo uterino, podem ocorrer episódios de diarreia. Mas isso, destaca Mantelli, não é uma regra, a diarreia pode ou não estar presente durante o trabalho de parto.

Desconforto abdominal

Mantelli explica que, juntamente com as contrações ritmadas, costumam surgir desconfortos abdominal e pélvico, com uma pressão no baixo ventre.

Perda do tampão mucoso

Na maioria das vezes, destaca Mantelli, ocorre a perda do tampão mucoso. Com isso, é possível notar uma saída de laivos de sangue (um “jorro” de sangue, que é o próprio tampão mucoso que fechava o colo do útero).

Ruptura da bolsa amniótica ou rompimento da bolsa

Este é um dos sinais do trabalho de parto mais conhecidos. Acontece quando popularmente as pessoas dizem que “estourou a bolsa”.

O rompimento da bolsa, destaca Mantelli, pode se dar a qualquer momento, mesmo antes do início do trabalho de parto (ou, às vezes, no final do trabalho de parto, por exemplo).

Além disso, a quantidade de líquido amniótico que “escapa” da bolsa pode ser bem “discreta” (um pingo, por exemplo) ou mais significativa; isso varia muito de mulher para mulher.

“É preciso observar se ela não apresenta sangramento vaginal. E sempre que as contrações se iniciarem, ou que seja rompida a bolsa, a gestante deve comunicar o seu médico obstetra, para que ele possa orientá-la adequadamente. E, também, para que ele possa indicar o momento exato que essa paciente deve ir para o hospital para a internação”, ressalta o ginecologista Mantelli.

As fases do trabalho de parto

DICAS DE MULHER

Mantelli explica abaixo que o trabalho de parto divide-se em: pródromo de trabalho de parto, fase latente do trabalho de parto e fase ativa de trabalho de parto.

1. Pródromo de trabalho de parto

“No pródromo, a mulher tem contrações uterinas, porém, são contrações que ainda não promovem a dilatação do colo do útero. Mas que acabam gerando um determinado desconforto pélvico. São contrações em que o útero está se preparando para, efetivamente, entrar em trabalho de parto, fase latente”, explica Mantelli.

2. Fase latente de trabalho de parto

A fase latente, destaca o ginecologista e obstetra, é marcada pelas contrações e por uma dilatação muito lenta e gradativa do colo do útero. “Geralmente, em torno de uns quatro centímetros de dilatação”, acrescenta.

3. Fase ativa de trabalho de parto

“Na sequência, vem a fase ativa do trabalho de parto que é marcada por uma dilatação do colo, maior que quatro/cinco centímetros e que tende a evoluir, em média um centímetro por hora. Mas obviamente isso não é uma regra”, explica Mantelli.

O período expulsivo é, aliás, o último período do trabalho de parto. “É quando a mulher já tem a dilatação total e esse bebê agora começa a descer em direção ao canal de parto para o nascimento”, destaca Mantelli.

Entender quais são as fases do trabalho de parto é importante para poder conhecer “todo o contexto” e então, poder identificar da melhor forma cada um dos sinais possíveis dentro do trabalho de parto.

Comentários

comentários