Policial

Depoimentos do Caso Daniel são retomados e Edison Brittes fica calado

Os depoimentos dos acusados de matarem o jogador Daniel Corrêa foram retomados nesta quarta-feira (4), no Fórum de São José dos Pinhais. Réu confesso, Edison Brittes foi um dos interrogados, mas ficou calado, seguindo recomendação de sua defesa, e não respondeu às perguntas da juíza Luciani Regina Martins de Paula, nem dos promotores do Ministério Público do Paraná (MP-PR).

Além de Edison e Cristiana Brittes, mulher de Edison, outros cinco réus foram ouvidos no caso neste dia, além de Allana, filha do casal, que deixou a prisão no último mês após pedido de habeas corpus. Allana também não respondeu às perguntas. Já Evellyn Brisola Perusso, respondeu aos questionamentos.

Os outros acusados também optaram por ficar em silêncio, mas Cristiana respondeu às peguntas e voltou a dizer que foi abusada por Daniel. Cristiana caiu em prantos durante os questionamentos. Em depoimento à polícia, Edison Brittes afirmou que matou Daniel porque o jogador tentou estuprar Cristiana.

O jogador Daniel foi encontrado morto, em 27 de outrubro do ano passado, na área rural de São José dos Pinhais, com sinais de tortura. O crime aconteceu depois da festa de 18 anos de Allana Brittes em uma casa noturna de Curitiba.

Os depoimentos foram retomados para que a justiça defina se os réus, que respondem por crimes como homicídio, coação e fraude processual, irão ou não para júri popular.
Bem Paraná

Comentários

comentários